Pedalar é uma atividade bem prazerosa e que ajuda bastante a relaxar: não é para menos que existem tantos ciclistas por aí e que consideram o esporte praticamente um antidepressivo.

Porém, como escolher uma bicicleta não é uma tarefa simples, precisa ser pensada: não basta ir a uma loja ou acessar um site e escolher aquela que parece mais bonita ou que é mais barata.

É muito importante que se entenda os critérios para que uma bike seja escolhida, inclusive para haver bem-estar no tempo em que se está pedalando.

A seguir, algumas dicas valiosas para quando você estiver pesquisando por uma bicicleta para comprar. Ao segui-las, você terá a bike mais adequada para as suas necessidades.

1 – Definir para que tipo de atividade será utilizada.

As fabricantes desenvolvem bicicletas de tipos bem variados, de acordo com a finalidade para a qual será usada.

Sendo assim, existem bicicletas especiais para ciclismo de estrada: elas têm um guidão curvo específico e podem atingir altas velocidades. Por outro lado, há as bicicletas para uso urbano, pedalar na rua, nos parques, e deslocamentos diários.

As diferenças na forma como essas bikes funcionam são muito grandes e é preciso que você determine em que contexto quer usá-las.

Se você tem a intenção de pedalar apenas na cidade, a bicicleta urbana é a sua opção. Porém, se o seu desejo é investir no ciclismo de estrada ou MTB,  deve escolher uma bicicleta mais específica para cada modalidade..

Vale dizer que algumas fabricantes têm modelos que ficam no meio termo, ou seja, que atendem a quem gosta de pedalar em vários tipos de terrenos ou  apenas não achou sua modalidade.

 

2 – Ter em mente quantas velocidades se quer

Os modelos de bike têm várias opções de marcha, que nada mais são do que as velocidades que a bicicleta possui.

As bicicletas mais novas, vem com 10, 11 ou até 12 marchas: é uma quantidade menor mas que se adapta muito bem à trilhas técnicas, XCO e XCM.

Por outro lado, há modelos de entrada com 21 e 24 marchas, ou seja, elas oferecem mais opções de velocidades para diferentes terrenos e podem se tornar extremamente rápidas, dependendo da utilização que o ciclista vai ter.

Se o ciclista vai utilizar a bicicleta de forma mista, ou seja, asfalto e terra, uma relação com 24 ou 27 velocidades será a mais indicada, pois você terá marcha suficiente para encarar subidas íngremes no asfalto e na terra, e também terá velocidade final no trecho urbano e no estradão de terra batida. 

Por isso, a quantidade de marchas é um dos critérios para você escolher a sua bicicleta: se você está procurando uma para o dia a dia, então deve optar por uma que tenha mais opções de marchas.

 

3 – Quadro da bike

Você sabe o que significa “quadro” no mundo das bicicletas?

O quadro é o que determina quanto de altura a sua bike terá e o nível de conforto enquanto você estiver pedalando.

É bem provável que, em algum momento, você tenha andado em uma bicicleta que estava muito baixo ou muito alta: em todos os casos, deve ter sido bastante complicado pedalar.

No caso da bicicleta com o quadro muito baixo, fica difícil para movimentar as pernas, mesmo quando isso é possível, acaba havendo bastante dor nos quadríceps e a pedalada acaba não rendendo.

Já quando a bicicleta tem um quadro alto demais, há dificuldade para pedalar porque o pé não alcança o pedal, e o ciclista acaba compensando com o quadril, que pode provocar dores na lombar e no trapézio.

É fundamental que a bicicleta tenha o quadro adequado para a altura do ciclista que vai utilizá-la: mesmo que seja possível regular banco e tudo mais, o quadro certo é indispensável.

Um exemplo: pessoas que têm altura superior a 1,90m precisam de uma bicicleta que seja quadro 21 polegadas. Já as pessoas que têm altura entre 1,50m até 1,60 não podem usar uma bike com quadro maior que 15 polegadas.

Para aqueles cuja altura vai de 1,70m até 1,80m, as opções de quadro ficam entre 17 e 20.

Vale lembrar que cada fabricante tem seu padrão de medidas, ou seja, alguns utilizam quadros com numeração par, e outros com numeração impar.

Há outros quadros também e é importante conferir com os vendedores quais são os mais adequados para a altura, especialmente se a bike for um presente.

 

4 – Material é fundamental para escolher uma bicicleta

Provavelmente, você já viu por aí que existem bicicletas feitas de diferentes materiais e, se achou que não há muita diferença entre um e outro, está correto

Os materiais usados para a fabricação das bikes fazem bastante diferença para a sua durabilidade e mesmo para o desempenho enquanto você estiver pedalando.

  • Alumínio: há uma boa quantidade de bicicleta com quadro de alumínio e elas têm a vantagem de ser leves. Com isso, você alcança velocidades bem maiores enquanto pedala. Vale dizer que a bicicleta feita de alumínio é mais resistente à corrosão.
  • Aço Carbono: essa é uma bicicleta mais comum porque se trata dos modelos mais baratos que as lojas oferecem. Porém, há o problema de elas serem muito pesadas e de deteriorarem com mais rapidez por causa da ferrugem.
  • Carbono: a bicicleta de carbono é uma opção mais comum para os ciclistas profissionais, justamente por oferecer um nível de leveza ainda maior que o da bike de alumínio, maior rigidez e conforto. Portanto é bom ficar atento, pois o carbono possui tempo de validade.

 

5 – Finalmente o preço

É verdade que o preço precisa ser visto como um dos critérios para a escolha da bicicleta, em especial para quem deseja uma bike apenas para curtir no final de semana ou para se deslocar até o trabalho.

Porém, é fundamental que não se deixe o critério “preço” passar por cima dos demais. Afinal, a bicicleta de aço é a mais barata, mas não necessariamente a que traz mais custo-benefício, uma vez que ela enferruja com facilidade e acaba precisando ser substituída.

É sempre bom reforçar que não avaliar com cuidado como comprar uma bicicleta, usando os critérios ensinados aqui, tem como consequência a escolha de uma bike que não durará tanto ou que não será confortável para o usuário.

Assim, faça uma avaliação cuidadosa do modelo pelo qual você está optando antes de levar sua bike para casa!

Na dúvida, procure sempre uma loja especializada e de sua confiança. para te orientar sobre esses detalhes.